Empresa

Serviços: Para Raio Radioativo

Radioativos:

Os para-raios radioativos podem ser distinguidos dos outros, pois seus captadores costumam ter o formato de discos sobrepostos em vez de hastes pontiagudas. O material radioativo mais utilizado para sua fabricação é o radioisótopo Américo-241.

Esses para-raios tiveram sua fabricação autorizada no Brasil entre 1970 e 1989. Nessa época, acreditava-se que os captadores radioativos eram mais eficientes do que os outros modelos. Porém, estudos feitos no país e no exterior mostraram que os para-raios radioativos não tinham desempenho superior ao dos para-raios convencionais na proteção de edifícios, o que não justificaria o uso de fontes radioativas para esta função. Sendo assim, em 1989, a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), por meio da Resolução Nº 4/89 suspendeu a produção e instalação desse modelo de captador.

A fabricação e comercialização dos captores Radioativos está proibida desde 1989 , através da resolução 04/89 da CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear) , publicada no D.O.U. em 09/05/89 , devido à não comprovação da sua eficiência pelo uso de material Radioativo. Recomenda-se que nas instalações providas de captores radioativos , este deverá ser retirado e encaminhado à CNEN , de acordo com as exigências deste orgão. A obrigatoriedade da sua remoção irá depender de leis municipais. De qualquer modo , a sua retirada é sempre recomendada , de modo a prevenir contaminações pelo mau manuseio de leigos ou crianças. Se você é sindico de um Condomínio ou gerente de uma empresa , essa responsabilidade é sua e a não retirada pode no futuro trazer muitos transtornos. Lembramos que após a retirada do captor radioativo a instalação deverá ser adaptada à norma NBR-5419 da ABNT , para que ofereça segurança.


Foto Para Raio Foto Para Raio Foto Para Raio Foto Para Raio